segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

GERAÇÃO PERDIDA

 Apostamos na geração política de Lula e perdemos


Foto: Internet

Toda nação brasileira elegeu Lula como presidente da República do Brasil na esperança d'ele, como ex operário, carregasse consigo as mesmas necessidades e anseios da população brasleira, até então, recém saída de uma inflação galopante, construisse uma sociedade mais igualitária e fraterna que adquirisse o poder de se reorganizar para produzir, distribuir renda e se tornar uma potência respeitada entre os que detém o poder econômico/financeiro no mundo. 
Veio a senhora Dilma Roussef, como sucessora de Lula. Aí, a coisa foi ficando cada vez mais sem controle.
Estamos numa situação de sucateamento de todas as instituições brasileiras com o nosso crescimento do Produto Interno Bruto em declínio absoluto.
O slogan de governo, Dilma, é: Um Brasil sem fome é um Brasil sem miséria. Mas, de que adianta dá uma esmola, bolsa família aos pobre, se não temos políticas públicas para fazer esses mesmos pobres se auto gerirem?
A realidade é que a educação, saúde, segurança pública, emprego e renda, indústria, etc, estão funcionando precariamente. Nosso poder de competitividade está com auto estima em baixa.  
Enquanto isso, nossa presidente caminha lado a lado com países socialistas sucateados pelo fracasso do Comunismo no mundo e distribui fortunas para Cuba e países da Àfrica. "Ah, geração perdida"!