quinta-feira, 20 de setembro de 2012

PESQUISA ELEITORAL DIVULGADA PELO JORNAL DE HOJE


Diferença cai pela metade e apenas 7 pontos afastam Natal do 2° turno

Data: 20 setembro 2012 - Hora: 19:45 - Por: Alex Viana
Em meio a indecisos, votos em branco e nulos, a eleição em Natal está a 7,5 pontos, em média, de ter segundo turno. Quem aponta é o instituto Perfil, com a pesquisa divulgada nesta quinta-feira, em parceria com O Jornal de Hoje. O ex-prefeito Carlos Eduardo Alves, do PDT, continua líder, com 36,46% das citações, mas a soma dos adversários já representa quase 29%. Vale lembrar que 22,48% dos eleitores ainda não definiu em quem vai votar no dia 7 de outubro.
Como a pesquisa simula um universo de 526,426 mil eleitores natalenses, isso significa dizer que essa distância entre uma eventual vitória de Carlos Eduardo no dia 7 de outubro e mais um turno em Natal é de, aproximadamente, 40 mil votos. Nada muito longe da realidade, se mais de 118 mil eleitores ainda devem estar indecisos, segundo os números divulgados pela Perfil.
Se Carlos Eduardo Alves foi o primeiro na pesquisa estimulada e os “indecisos” representaram a segunda maior porcentagem no levantamento feito pelo Perfil, Hermano Morais, candidato do PMDB, apareceu na terceira posição, com 14,19% das citações dos eleitores. Brancos e nulos aparecem logo em seguida, com 12,09%.
Rogério Marinho, do PSDB, retomou a terceira posição entre os candidatos, alcançando 6,99% dos “votos”, enquanto o petista Fernando Mineiro teve 6,29% de citações. Professor Robério Paulino, do PSOL, com 1,2% e Roberto Lopes, do PCB, com 0,3%, fecharam os números divulgados pela pesquisa estimulada.
No que diz respeito à pesquisa espontânea, o número de indecisos foi ainda maior. Quase 30%. Carlos Eduardo Alves teve 33,47% das lembranças dos entrevistados. Hermano Morais, 12,99% e brancos e nulos, menos que na estimulada: 11,59%. Fernando Mineiro, na espontânea, levou vantagem sobre Rogério Marinho: 5,59% do petista, contra 5,49% do tucano. Professor Robério teve 0,7%, enquanto Roberto Lopes, 0,2%.
APROVAÇÃO E DESAPROVAÇÃO
A pesquisa da Perfil também demonstrou os cenários de aprovação e desaprovação dos governos Federal, Estadual e Municipal. Contudo, nada de muito inesperado foi revelado. A administração da prefeita Micarla de Sousa foi desaprovada por 95,4% dos eleitores entrevistados, contra uma aprovação de apenas 3,6%.
O caos na saúde pública estadual fez a gestão da governadora Rosalba Ciarlini continuar em alta, mantendo, basicamente, os mesmo 72% de desaprovação revelados na última pesquisa, divulgada no dia 9 de setembro. Aprovada mesmo só o Governo da presidente Dilma Rousseff. Mais de 70% aprova. Apenas 20% desaprova.

Diretor da Perfil: “Números demonstram tendência de 2° turno
Se os números demonstraram que a vantagem de Carlos Eduardo sobre o segundo colocado continua alta, mostraram também uma tendência: o segundo turno. Pelo menos, na avaliação do diretor do Instituto Perfil, Fernando Figueiredo. Em entrevista a O Jornal de Hoje, ele confirmou que o crescimento dos adversários aponta que a eleição dificilmente será decidida no dia 7 de outubro.
“Na primeira pesquisa (divulgada no dia 11 de setembro), a distância entre Carlos Eduardo e os adversários era de 14%. Nesta, a distância é a metade. Por isso, é possível traçar uma linha descendente da distância entre o ex-prefeito e os concorrentes que tem velocidade suficiente para permitir um segundo turno em Natal”, avaliou Fernando Figueiredo.
Claro que essa diferença não foi baseada, unicamente, na apresentação de propostas. Carlos Eduardo se viu envolvido em uma série de matérias de repercussão negativa. Teve o caso do “descontrole” diante do candidato Hermano Morais, em debate realizado no Sindicato dos Profissionais da Saúde (Sindsaúde). Além disso, teve o anúncio da prefeita Micarla de Sousa, de que votará no ex-prefeito, e a revolta dele ao chamar o primo Garibaldi Alves Filho de “velho” e “radical”.
Não se pode esquecer, ainda, o caso noticiado com exclusividade pel’O Jornal de Hoje, com referência aos mais de 100 processos que o ex-prefeito responde no Tribunal de Contas da União (TCU) por contratos irregularidades pagos por ele quando ainda era secretário de Estado, da Justiça e da Cidadania (Sejuc), em 1999.
Por isso, como todas essas situações contribuíram para o crescimento dos adversários de Carlos Eduardo Alves, é possível dizer também que o ex-prefeito pode ser beneficiado com uma eventual mudança. “É importante ressaltar que o segundo turno só vai ocorrer se essa linha continuar descendente, porque o ex-prefeito ainda pode fazer algo que mude essa trajetória e a suspenda, o que manteria a decisão em primeiro turno”, avaliou Fernando Figueiredo.
Vale ressaltar que na primeira pesquisa de setembro divulgada pela Perfil, no dia 11, Carlos Eduardo Alves contabilizava 37,7% das intenções de voto. Em segundo lugar, aparece o candidato do PMDB, Hermano Morais, com 13,2% dos votos; seguido por Fernando Mineiro, do PT, com 5,1%; Rogério Marinho, com 3,7%; Professor Robério, 0,7%; e Roberto Lopes, com 0,3%.
Na pesquisa espontânea – onde os candidatos não são apontados pelo entrevistador -, Carlos Eduardo já demonstrava uma queda em relação às intenções de voto da estimulada (citadas acima). Ele aparece com 32,5%. Atrás do pedetista vem Hermano, com 11,4%, Mineiro, com 3,6%, Rogério, com 2,4%, Robério, com 0,3% e Lopes, com 0,3%. Nesta sondagem, indecisos somam maioria, com 37,7%. Brancos e nulos atingem a marca de 11,8%.
 MUDANÇA DE VOTO
É importante apontar, ainda como indicou a Perfil, que uma mudança de voto não é algo que pode ocorrer para 51,55% dos entrevistados. Mais de 7% disseram que uma eventual troca de candidatos “depende” e 5,89% responderam que “sim”, podem mudar seus votos.
VITÓRIA
Apesar de nem todos os entrevistados votarem em Carlos Eduardo Alves, os números conseguidos pelo ex-prefeito durante as pesquisas divulgadas no primeiro semestre do ano e, também, no início da campanha, deixam uma informação clara: além de muito popular, Carlos Eduardo é tido como o favorito. Tanto é assim que o ex-gestor municipal é apontado por 62,03% dos entrevistados como o favorito para vencer as eleições – quase a metade desse percentual afirmou votar nele.
“Não sabe/Sem resposta” foi o segundo, com 23,78%. Ou seja, o número de eleitores que não sabem quem vai ganhar é maior do que todos aqueles que acreditam numa vitória de Hermano Morais, Rogério Marinho, Fernando Mineiro, Professor Robério e Roberto Lopes.
Se 14% afirmaram votar em Hermano Morais, inclusive, apenas 9,79% acreditam na vitória do peemedebista. Rogério Marinho, então, menos ainda: 2,3%. Os que estão confiantes em vitória de Fernando Mineiro representam 1,8%, enquanto os de Robério, 0,3%. Roberto Lopes ficou no 0%.
REJEIÇÃO
No quesito rejeição, com exceção daqueles eleitores que não rejeitam nenhum candidato (que representam 29,47% segundo a pesquisa), Carlos Eduardo Alves foi o mais rejeitado. Entre os entrevistados pela Perfil, 16,68% afirmaram não votar no ex-prefeito. Aqueles que não souberam responder ou deixaram a questão sem resposta representaram 13,99%.
Hermano Morais e Rogério Marinho ficaram bastante próximos nesse quesito. O peemedebista é rejeitado por 9,69% dos eleitores, segundo a pesquisa, enquanto o tucano, por 9,39%. Aqueles que rejeitam todos também representaram mais de 9% dos entrevistados. 9,59%, para ser mais exato.
O petista Fernando Mineiro é rejeitado por 5,99% segundo a pesquisa da Perfil. Roberto Lopes, do PCB, tem rejeição 3,5%. Professor Robério Paulino é, segundo o levantamento, o menos rejeitado: apenas 1,7%.
VEREADORES

A pesquisa também apontou o cenário da corrida para a Câmara Municipal de Natal. os cinco mais citados no levantamento da Perfil, são Chagas Catarino, Amanda Gurgel, Luiz Almir e Ubaldo Fernandes. A sequência crescente dos mais citados na pesquisa são: Rafael Motta, Bispo Francisco de Assis, Ari Gomes, Felipe Alves, Bertone Marinho, Emanuel do Cacao, Dago, Dickson Nasser Júnior, Janderre Melo, Enildo Alves, Professor Luis Carlos, Edivan Martins, Júlio Protásio, Adão Eridan, Franklin Capistrano, Aquino Neto, Júlia Arruda, Haroldo Alves, Ubaldo Fernandes, Luiz Almir, Amanda Gurgel e Chagas Catarino.

REGISTRO

A pesquisa da Perfil foi registrada com o protocolo número RN-00116/2012, no sistema de pesquisa eleitoral em 15 de setembro. Foi contratada pelo Jornal de Hoje e realizada com 1.001 pessoas.