sábado, 9 de outubro de 2010

CONSTRUÇÃO CIVIL/RN MOBILIZA CATEGORIA EM BUSCA DE MELHORES SALÁRIOS

MOBILIZAÇÃO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO RN BUSCA MELHORES SALÁRIOS

Trabalhadores da construção civil em busca de melhorias salariais, param Natal - A avenida senador Salgado Filho, principal via de escoamento do trânsito de Natal, ficou interditada durante um longo período devido mobilizaçãoNesta sexta-feira, 08, em assembléia realizada enfrente à casa da indústria, sito à avenida salgado filho, os trabalhadores da construção civil do RN, através do seu presidente Assis Pacheco, levou centenas de profissionais do segmento ao local do evento para solicitar, da classe patronal, melhorias salariais que posssibilitem melhores condições de vida para os trabalhadores da construção civil.

Mesmo sem a presença maciça dos trabalhadores, por motivo da maioria não haver sido liberado pelo seu patrão, a mobilização se tornou uma das miores que já ocorreram em Natal/RN.
O Sintracomp, que representa os trabalhadores da construção civil do RN, comandado pelo seu presidente Assis Pacheco, negocia um aumento salarial que possibilite ao profissional da construção civil, inicialmente, um piso salarial na ordem de de R$ 715,00 ( setecententos e quinze reais). Entretanto, o empresariado do segmento concordaram apenas com um rejuste de 16,34% que não ultrapassa R$ 700,00 (setecentos reais) para o salário inicial do trabalhador da construção civil.
Vale destacar que após a mobilização de rua, o empresariado recebeu uma comissão dos trabalhadores dentro da casa da indústria, organizados em busca de reajuste salarial, sob o comando do presidente do Sintracomp Assis Pacheco, e a reunião ocorreu em clima de amistosidade e entendimento entre as pártes envolvidas: Sintracomp/RN (trabalhadores) e Sinduscon/RN (patronal).
"É necessário que a sociedade do RN tome conhecimento de que o que a classe trabalhadora da construção civil do RN está reivindicando é um salário inicial para o profissional qualificado, da nossa categoria, no patamar do que é pago a um ajudante (iniciante) em São Paulo da ordem de R$ 715,00 (setecentos e quinze reais)", disse Assis Pacheco (presidente do Sintracomp).
Entrentanto, a classe patronal apenas permite um reajuste de 16,34% elevando o salário inicial de um profissional qualificado, trabalhador da construção civil, para R$ 700,00 (setecentos reais).
Asssis Pacheco disse que ia levar a proposta para ser decidida em assembléia a ser realizada no sindicato Sintracomp/RN e que nova rodada de negociação, com a classe patronal, estaria marcada para próxima quinta-feira.