quinta-feira, 12 de agosto de 2010

"O RN PRECISA DE POLÍTICOS IDENTIFICADOS COM O SEGMENTO AGRÍCOLA DO RN", Ney Dias

Advogado Ney dias, candidato a deputado federal pelo PSDC com o número 2707, quer resgate da caprinocultura e a defesa do produtor rural na câmara federalCandidato a deputado federal pelo PSDC, o advogado Ney Dias, disse que pretende retomar o trabalho do então deputado federal Nélio Dias, que foi um dos principais defensores do segmento agrícola do país e em particular do RN. Segundo ele, Nélio foi o criador do grito da seca, movimento de mobilização do homem do campo cujos resultados práticos foram a redução dos juros e o crédito rural para agricultores e produtores. "O sertão Cabugí foi o maior produtor de leite de cabra do RN, existia uma cooperativa, uma estação de abate e um frigorífico em Lajes que atualmente está desativado. O estado tem que ter um deputado comprometido com o campo na câmara federal. No vale do Assu o descaso é total após as enchentes que provocaram a evasão de empresas e, consequentemente, o desemprego de trabalhadores rurais" observa.
Ney Dias, irmão de Nélio Dias, disse que pretende se eleger depputado federal para dar continuidade ao trabalho de defesa ao trabalhador rural já que, segundo ele, questões pertinentes ao segmento agrícola só serão resolvida através de um parlamentar identificado com o setor permanente nos ministérios em Brasília e apresentando projetos e propostas no plenário da câmara federal, visando capacitar mão de obra do campo em setores como cultura irrigada de hortifrutigrajeiros, por exemplo. Ele diz que os maiores problemas do Nordeste são enchentes e estiagens, cujas alternativa é a agricultura irrigada.
Ney Dias disse que lutará também no sentido de que seja feita a renegociação efetiva da dívida rural para que o agricultor não fique inadimplente e sem acesso ao crédito nas instituições bancárias. "Esse é um assunto que vem pertubando o agricultor há muitos anos em função da instabilidade do tempo", ressalta Ney Dias. (Texto transcrito da edição de quarta-feira, 03, do Jornal de Hoje/Joaquim Pinheiro-repórter de política)