sexta-feira, 16 de abril de 2010

TO BE OR NOT TO BE ÉS A QUESTÃO

Eleitor divido entre o programa de governo "bolsa família do governo Lula (PT)" e o candidato de oposição "José Serra (PSDB)". Dilma ou Serra, qual o melhor candidato:?

Os dois candidatos à presidência da repúiblica, nas próximas eleições, tem uma coisa em comum: foram vítimas da didatura militar de 64. Tanto o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), quanto Dilma Roussef (PT), ministra da casa Civil, no momento, apadrinhada pelo presidente Lula.
Todos sabem que quem decide a eleições é a classe pobre desse País. Mas, o que se tem notado é que grande parte desse eleitorado pensa em manter a mesmice da situação recebendo dinheiro do bolsa família enquanto faz criança para por no mundo. Entretanto, outra grande parte do eleitorado já percebeu que quem dar dignidade ao ser humano é o trabalho, saúde, educação e outros. E sem o seu trabalho o homem não tem honra. E o grande pecado da gestão Lula foi a não consolidação do emprego de carteira assinada. Mas, tinha sempre um paliativo usando dinheiro do estado.
De um lado, uma facção quer se perpetuar no poder por achar que fez uma gestão enxuta e boa. Do outro, um partido que não foi muito bem de administração quando comandou o Brasil por oito anos. Com uma diferênca grande agora: o canditado José Serra não é apenas mais um intelectual. Ele também é politico. Eu não sou muito propenso a aceitar essa hitória de perpetuação de um grupo no poder pois ele pode levar à didatura camuflada ou a um facismo velado.
A questão agora é votar, e em quem votar, para que o país eleja o melhor candiidato para que possa assumir as diretrizes de um crescimento econômico acima de 5% ao ano. Se isso vier acontecer, o Brasil levará aproximadamente vinte anos para que possa ter os mesmos padrões de emprego e renda que, por emxemplo, a Espanha possui na atualidade.
O ideal é que dois mandatos seriam suficientes para qualquer partido desenvolver um programa de governo e aplicá-lo. E depois, não poderia mais concorrer às eleições e nem indicar ninguem da mesma legenda por oito anos.
Existem deputados que possuem mais de quarenta anos de mandatos e não sabem o que é uma carteira assinada.
No RN, as opções estão sempre presentes pleiteando angariar os votos dos indecisos e dos que já pertencem aos chamados "currais eleitorais". Mas para Joanilson de Paula Rego, (PSDC) Sávio Hackrat (PC do B), Fernando Lucena (PT) e outros, para disputar as eleições com os que já possuem o poder nas mãos, a tarefa é árdua pois o poder econômico, nomamlmente , é quem dita as regras e o resutado das eleições.