sexta-feira, 18 de setembro de 2009

SÃO GONÇALO DO AMARANTE

Jaime Calado quer reduzir 20% nos gastos com a máquina administrativa

A situação financeira das contas públicas municipais está assustando os prefeitos em todo o país. Aqui no Estado o cenário não é diferente. Vários gestores já declararam insatisfação pelas sucessivas quedas na arrecadação. No caso de São Gonçalo do Amarante, município que integra a Região da Grande Natal, o prefeito Jaime Calado denuncia que recebeu a máquina sucateada e com dívidas no montante de R$ 35 milhões, incluindo o atraso no repasse do INSS dos servidores.
“Estamos amargando uma queda absurda no orçamento. O nosso município registrou saldo zero no Fundo de Participação dos Municípios – FPM e ainda por cima perdemos os Royaltes na ordem de R$ 700 mil. A dificuldade agora está em equacionar uma conta difícil de fechar. Temos que liquidar as dívidas herdadas, custear a máquina para garantir um serviço de qualidade e também promover os investimentos necessários”, disse Jaime.
Em função das dificuldades financeiras a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante resolveu tomar medidas emergenciais para reduzir os gastos. A principal delas é a redução em 10% dos salários do prefeito, vice-prefeito, secretários e secretários adjuntos. Além disso, estão suspensas as concessões de diárias e novas nomeações. A prefeitura também diminuiu a cota de minutos da telefonia móvel, suspendeu a contratação de novas obras e de despesas de caráter continuado, resguardando apenas aquelas consideradas imprescindíveis.
Com essas medidas o prefeito Jaime Calado acredita que a redução do custeio com a máquina pública deve atingir 20% por mês. “O povo me elegeu para gerir o dinheiro público da melhor forma e por isso não posso ficar de braços cruzados. A redução de despesas é importante, mas também estamos trabalhando para aumentar a arrecadação. Pela primeira vez na história de São Gonçalo o contribuinte está tendo a oportunidade de negociar as dívidas através do Programa de Recuperação Fiscal – Refis”, declarou.